SOBRE A BRUCALDERON
A cozinha é um lugar mágico para mim, local onde posso criar e reinterpretar receitas e pratos incríveis. Meu objetivo é inspirar você à também colocar a mão na massa de uma maneira simples e descomplicada, fazendo com que o ato de cozinhar lhe traga descontração e muita alegria.  
Jundiaí / São Paulo
Preparado com carinho pela Bru. 2016-2018
Please reload

Posts Recentes

A MELHOR RECEITA DE DADINHO DE TAPIOCA PARA VOCÊ FAZER EM CASA

September 26, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

CEVICHE PERUANO PRÁTICO E DELICIOSO PARA UMA REFEIÇÃO LEVE E SABOROSA!

15 Jan 2020

Já estamos na metade do mês de janeiro, você pode acreditar?

 

Parece que ontem mesmo estávamos na praia pulando as sete ondinhas e fazendo nossos pedidos de ano novo.

 

E eu posso apostar que um dos pedidos da maioria das pessoas foi “se alimentar melhor no próximo ano”. 

 

Tá, talvez alguns estejam mais para “parar de comer fast food 3 vezes na semana” ou “por favor perder alguns kilinhos na balança”, mas você entendeu o que eu quis dizer, certo?

 

Fato é que independente de como tenha sido o pedido, certamente esta intenção constou na lista de muita gente.

 

Isso por que, querendo ou não, sempre exageramos nas Ceias de fim de ano, muitas pessoas acabam aproveitando a época para tirar as tão sonhadas férias e aí não tem jeito mesmo, de porção em porção e chopinho em chopinho, todo mundo acaba passando do limite.

 

E veja, ninguém aqui está falando que isso está errado ou mesmo que devemos parar por completo!

 

Nada disso. Por aqui falamos sempre de equilíbrio e é isso que devemos ter em mente para este começo de ano (e para todo o sempre né, vamos combinar).

 

Acho super válida e inclusive muito importante essa intenção de ter uma alimentação bacana, saudável e muito gostosa e por isso preparei algumas receitas pra lá de especiais para você se deliciar neste começo de ano!

 

Para hoje selecionei uma das minhas preferidas: o Ceviche.

O Ceviche é um prato da culinária peruana que tem como base principal um preparo muito simples, cubos de peixe marinados no limão.

 

Simples assim.

 

Agora, não se engane e apesar de uma base simples, a história do ceviche é bem complexa!

 

A começar pelo seu nome. Até hoje não se sabe se o correto é escrever ceviche, cebiche ou cerviche e olha que só estamos falando das palavras mais comuns viu? Ainda existem várias outras versões da palavra escrita das mais variadas maneiras. 

 

Isso mesmo, acredite se quiser até hoje nem os próprios peruanos sabem a grafia correta da palavra e apesar de ser muito comum encontrarmos o prato escrito como “ceviche”, a própria Real Academia Espanhola indica o uso como “cebiche”.

 

Bom, seja como for, o que se sabe é que a raiz da palavra vem de “siwichi” do dialeto quíchua e que significa literalmente “peixe fresco”.

 

E é por isso que é essencial que o peixe usado para uma receita de ceviche seja sempre fresco, para honrar as origens do prato. 

 

O prato é importante e conhecido em toda América do Sul, mas os Peruanos foram os responsáveis por tornar o prato um clássico nacional e por isso o Ceviche é considerado Patrimônio Cultural do país com direito até um dia só para ele: 28 de junho. 

 

Reza a lenda que a primeira versão de ceviche teria sido criada a cerca de 2000 a.C. entre o povo Mochica do litoral norte do Peru. O peixe recém pescado era marinado no suco de curuba, um fruto similar ao nosso maracujá. Outros povos como Incas e pré-colombianos também preparavam alimentos usando a mesma base.

 

Com o tempo, ao peixe fresco e cortado em cubos foi adicionado o suco de limão. A verdade é que desde sua primeira versão um elemento cítrico já constava no modo de preparo desde o curuba até lima, laranja e por fim, o limão. E é esse cítrico que garante quase que um “cozimento” do peixe. Sim, o peixe é comido cru mas o suco cítrico acaba marinando de tal forma os cubinhos que você quase tem a sensação de que o peixe está cozido. É por isso que muita gente que nem pode ver peixe cru na culinária japonesa se impressiona ao provar um ceviche e ver o quanto a experiência é outra no paladar.

 

Alguns outros ingredientes são obrigatórios, ao menos se estamos falando de ceviches verdadeiramente peruanos! São eles cebola, pimenta e coentro.

 

Sim, coentro.

 

Eu sei que muuuuita gente no Brasil não gosta de coentro e quero saber de você, é da turma do coentro ou da turma do sem coentro?

Caso não goste, não precisa usar ok? Está tudo bem. É só substituir por salsinha e você conseguirá fazer a receita da mesma forma.

 

Outros itens como milho e chips de banana também são bem comuns de serem encontrados em ceviches peruanos. Mas o que não pode faltar é a cebola e a pimenta.

 

Preparar um ceviche sem cebola é quase como preparar um molho pesto sem manjericão!

 

E eu te adianto que o jeitinho de cortar a cebola pode influenciar totalmente na experiência de como se aprecia um ceviche. O prato é extremamente delicado e deve conferir uma explosão de sabores quando provado e é por isso que cada um dos ingredientes deve ser preparado corretamente. Se o peixe não estiver fresco, ele ficará emborrachado. Se a pimenta estiver com sementes, vai arder. Se a cebola estiver grosseira, a boca vai repuxar. 

 

Incrível, não é? Eu adoro esse prato que parece tão simples e tem tantos detalhes que fazem toda a diferença.

 

Para ter uma explosão maravilhosa de sabores em sua boca é só seguir certinho o passo a passo que vou te passar e você terá um autêntico ceviche peruano. Para não correr nenhum risco e garantir que o corte dos ingredientes seja fino e idêntico, contei com a ajuda do Mandoline Vera da marca Ghidini.