SOBRE A BRUCALDERON
A cozinha é um lugar mágico para mim, local onde posso criar e reinterpretar receitas e pratos incríveis. Meu objetivo é inspirar você à também colocar a mão na massa de uma maneira simples e descomplicada, fazendo com que o ato de cozinhar lhe traga descontração e muita alegria.  
Jundiaí / São Paulo
Preparado com carinho pela Bru. 2016-2018
Please reload

Posts Recentes

A MELHOR RECEITA DE DADINHO DE TAPIOCA PARA VOCÊ FAZER EM CASA

September 26, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

COMO FAZER NHOQUE COM RAGU DE CARNE PRÁTICO E DELICIOSO

16 Oct 2019

Que o nhoque é uma das massas mais apreciadas na Itália, todo mundo já sabe. Que é possível fazer nhoque de batata, de mandioquinha e até de batata roxa, também já é sabido por todos.

 

Agora, o que pouca gente sabe é que esse prato mundialmente conhecido teve a sua origem a partir de uma mistura de pão, farinha e água.

 

É isso mesmo: os primeiros nhoques eram feitos de pão!

 

O período pós-guerra deixou diversas marcas na história da Itália, e com a culinária não foi diferente. Diante da escassez de ingredientes e da situação precária desse período, as mammas italianas precisavam se reinventar e usar toda a sua criatividade para preparar receitas usando o pouco que tinham em casa.

 

Segundo dizem, a farinha de trigo era um dos ingredientes mais em falta naquela época, e apenas os mais ricos tinham acesso a grandes quantidades do ingrediente. As famílias mais simples precisavam se contentar com um pequeno punhado de farinha de trigo para passar o mês todo — o que obviamente logo se tornou um problema, já que a base da culinária italiana já era tomada pelas massas.

 

Então, na busca por uma alternativa para substituir o trigo, algumas pessoas começaram a ralar o pão velho (aquele duro de 2 dias atrás, sabe?). A esse ingrediente era acrescentado uma colherzinha de trigo e água quente, e assim uma massa consistente tomava forma. Essa massa, por fim, era passada em um cilindro e cortada em pequenos cubinhos que seguiam para cozimento em uma panela com restinhos de ossos de galinha e vegetais. 

 

O resultado? O nascimento de um prato cheio de sustância e muito saboroso!

 

Com o tempo, os ricos também começaram a preparar a receita, e não demorou muito para que o pão velho fosse substituído pela batata, que também garantia uma massa consistente, porém bem mais saborosa.

 

Como muitas receitas italianas, cada família tem a sua própria versão de nhoque guardada a sete chaves pelas nonnas. Não bastasse isso, cada região também tem uma forma de preparo e até nomes diferentes para a receita. Ela pode ser chamada de cavatelli, de pisarei ou, como é mais comum, gnocchi, que é grafia correta da palavra em italiano.

 

Mas uma coisa se manteve firme mesmo depois de tanto tempo: o uso de pouca farinha na massa — só o suficiente para dar liga. Isso garante um resultado super saboroso e aveludado por conta da predominância da batata, e é por isso que todo dia 29 a gente usa a desculpa do “nhoque da sorte” para apreciar essa delícia da culinária italiana.

 

Você não conhece a história do nhoque da sorte? Calma que eu te conto.

 

Reza a lenda que, num dia 29 de um mês qualquer, São Pantaleão se deparou com um vilarejo de casas simples. Como sentia muita fome, perguntou se alguém poderia lhe fornecer algum tipo de comida. Um homem, mesmo com seu pequeno prato à mesa, fez questão de dividir a sua comida em dois pratos, e assim serviu 7 bolinhas de nhoque ao santo. Quando o homem retirou o prato de São Pantaleão, deparou-se com moedas de ouro. Desde então, tornou-se um hábito comer um prato de nhoque todo dia 29 com uma moeda ou uma nota de dinheiro embaixo do prato.

 

A receita é tão saborosa e prática de fazer que, sinceramente, eu nunca espero o dia 29 para apreciá-la e acho que qualquer dia é dia de se deliciar com um nhoque, não é verdade?

 

Histórias e brincadeiras à parte, a receita de nhoque, ao contrário do que muita gente pode pensar, é muito simples. E hoje vou te ensinar 5 dicas para prepará-la quando quiser, de uma forma bem fácil e rápida aí na sua casa!

 

  1. Cozinhe a batata até que ela esteja muito macia. Desligar a batata ainda dura faz com que o nhoque fique “pedaçudo” e tenha um aspecto final nada bonito.

  2. Passe as batatas por um espremedor. A ideia aqui é basicamente a mesma do item 1: evitar que o nhoque fique com pedaços irregulares e deixá-lo mais uniforme e lisinho.

  3. Use pouca farinha. Siga os passos das nonnas criadoras da receita e adicione o trigo gradualmente, sempre de pouco em pouco, apenas o suficiente para dar liga.

  4. Coloque apenas água e sal na água do cozimento do nhoque. Jamais utilize óleo ou azeite, pois isso deixará o nhoque escorregadio e fará com que o molho de sua escolha não consiga envolver a massa depois de cozida. 

  5. Opte por molhos clássicos, como ragu de carne. No começo, você precisa pegar a prática da quantidade de trigo, do tempo de cozimento da batata, do tempo do cozimento do nhoque pronto… E para garantir que a receita saia perfeita, é interessante escolher recheios e versões mais clássicas e fáceis de fazer.

 

Com essas dicas infalíveis você não precisa esperar até o dia 29 e pode fazer o seu nhoque hoje mesmo para apreciar com a sua família!

 

Mas é claro que eu não poderia deixar de te dar mais uma dica extra: escolha bons utensílios para o preparo de seu nhoque. Para a minha receita perfeita, usei dois itens importados diretamente do país que mais entende de massas: a Itália.

 

Para espremer as batatas de forma muito prática e rápida, usei o espremedor de batata Vera da marca italiana Ghidini. A marca possui uma linha de produtos robustos e muito fáceis de usar, trazendo mais eficiência para o nosso dia a dia. O espremedor de batatas conta com 3 lâminas de espessuras diversas que possibilitam diferentes texturas para os alimentos amassados, além de ser extremamente fácil de limpar, podendo ser levado até mesmo ao lava-louças.

 

Com a primeira etapa já cumprida e as nossas batatas perfeitamente amassadas, passamos para a segunda parte: o preparo do ragu. Para conseguir fazer um ragu digno de restaurante italiano, você só precisa de um item: uma boa panela de pressão.

 

O grande segredo de um ragu perfeito — aquele que desmancha facilmente assim que a panela é aberta, sabe? — é o cozimento correto da carne. Para isso, usei a panela de pressão Barazzoni feita em aço inox 18/10 e com fundo triplo de 5 mm. E por que isso é incrível? Porque esse fundo triplo garante o cozimento total do alimento, evitando que você encontre qualquer pedaço de carne cru dentro da sua panela. Além disso, as panelas com design e produção italiana são muito seguras, não permitem a abertura se ainda houver pressão interna e também possuem maior vedação, garantindo a sua segurança dentro da cozinha.

 

Muito mais praticidade para te incentivar a partir para a cozinha e preparar seu nhoque, não é mesmo? Então anote aqui a fácil receita de nhoque de batata com ragu de carne e corra para preparar essa delícia para a sua família!