SOBRE A BRUCALDERON
A cozinha é um lugar mágico para mim, local onde posso criar e reinterpretar receitas e pratos incríveis. Meu objetivo é inspirar você à também colocar a mão na massa de uma maneira simples e descomplicada, fazendo com que o ato de cozinhar lhe traga descontração e muita alegria.  
Jundiaí / São Paulo
Preparado com carinho pela Bru. 2016-2018
Please reload

Posts Recentes

A MELHOR RECEITA DE DADINHO DE TAPIOCA PARA VOCÊ FAZER EM CASA

September 26, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

RECEITA DE CAMEMBERT COM MEL

8 May 2019

O ingrediente principal da receita de hoje é praticamente uma celebridade da gastronomia. Visto como o queijo francês mais célebre e, por lá, carinhosamente apelidado de “Le Roi des Fromages” (O Rei dos Queijos), o camembert é certamente um dos queijos mais conhecidos (e reconhecidos) do mundo.

 

Relatos apontam que Marie Harel, uma fazendeira moradora de uma cidade localizada na Baixa Normandia, tenha sido a primeira pessoa a produzir o queijo camembert. Reza a lenda que um padre advindo da região de Brie agradeceu a hospedagem oferecida por Marie transmitindo a ela seus conhecimentos de produção do queijo brie.

 

Em 1791, Marie utilizou o leite de vaca cru e aplicou todos os ensinamentos que o padre havia lhe transmitido, e o resultado foi um queijo amanteigado, com interior suave e casca branca, causada por um fungo branco propositalmente inserido durante o processo de produção.

 

O que Marie não imaginava é que, por estar em uma região diferente da de origem do brie, características como clima, temperatura, tipo leite, etc. dariam origem a um novo tipo de queijo. E em homenagem à cidade de Camembert, em que Marie morava, nascia o queijo homônimo.

O processo de produção se manteve o mesmo, mas o camembert só tomou a forma como conhecemos hoje em 1890, quando M. Ridel criou uma caixa de madeira para envolver o produto, para proteger o queijo nas viagens de longas distâncias. A caixa que envolve o camembert é uma característica marcante do queijo, que faz com que ele se diferencie instantaneamente de seu “primo” brie.

 

Para que você possa apreciar um queijo originalmente camembert, é necessário que verifique se o produto possui os selos de apelação de origem controlada (AOC) e de denominação de origem protegida (DOP), títulos dados pela França e pelos países da União Europeia, respectivamente.

 

O que faz com que o queijo seja um autêntico camembert é a produção e o processamento em seu local de origem, a Normandia. O processo produtivo precisa também ter seguido algumas etapas importantes, divididas da seguinte forma:

 

1.    Ordenha: são necessários 2 litros de leite para produzir apenas 250 gramas do queijo e, por isso, as ordenhas costumam ser feitas duas vezes ao dia, para que a produção se mantenha alta.

2.    Desnatação: o leite é aquecido a 34º C e depois é parcialmente desnatado até atingir o teor de gordura desejado pelo produtor.

3.    Coalhar: o processo dura aproximadamente 1 hora e, nesse momento, é adicionado o coalho, responsável por separar a parte sólida da líquida.

4.    Corte do coalho: a coalhada (parte sólida) é então cortada para melhor continuidade da produção do queijo.

5.    Moldagem: por incrível que pareça, todos os queijos originários de Camembert são moldados à mão, com ajuda de uma concha.

6.    Gotejamento: assim que o queijo é moldado, ele permanece parado para que o restante do soro goteje por completo, removendo o soro remanescente.

7.    Desmoldar: o queijo é retirado do molde após 24 horas, momento em que é levado para estantes próprias, chamadas de “claies”.

8.    Salga: todos os camemberts são salgados manualmente, passo que ajuda na maior conservação do produto.

9.    Amadurecimento/maturação: os queijos são colocados em uma sala de secagem e por lá permanecem 7 dias, desenvolvendo seus aromas e a famosa crosta branca. Após esse período, os queijos são levados para outra sala, onde permanecem para maturar e amadurecer, e o tempo depende de cada produto.

10.  Embalagem: o queijo é finalmente colocado em uma embalagem de madeira com um papel de cera, que permite que a umidade passe e o queijo possa respirar, e pode então ser vendido.

 

Aposto que você nem imaginava o trabalho que dá pra produzir o queijo camembert, não é mesmo? Eu realmente adoro conhecer as origens e histórias que envolvem os ingredientes e, quando soube de todos esses passos até a obtenção do camembert, passei a apreciá-lo ainda mais!

 

E uma das coisas que acho interessante fazer sempre que desejo “honrar” a origem de um produto é usá-lo da maneira mais tradicional possível. O queijo camembert pode ser consumido de diversas formas, mas há uma receita que pode ser destacada como a mais tradicional da França: o camembert ao forno com mel.

“Camembert rôti au miel”, que significa “camembert assado com mel”, é certamente uma das minhas paixões da culinária francesa e é minha pedida certa em restaurantes e bistrôs franceses. Diferentemente de sua demorada forma de produção, a receita é extremamente simples e o resultado final é espetacular!

 

Para produzir meu camembert assado com mel, em casa eu utilizo o bowl refratário de 500 ml da Emile Henry. A marca é importada com exclusividade pela Imeltron no Brasil e sua cerâmica HR Ceramic (High Resistance Ceramic) é um material de alta resistência, que garante uma durabilidade superior, evitando lascas por muito tempo.

 

Os produtos da marca Emile Henry possuem resistência a choques térmicos, podendo ser retirados do congelador e levados diretamente ao forno. Além disso, o material do bowl é um ótimo difusor de calor, distribuindo-o por todo o refratário, o que faz com que o queijo seja cozido por igual e por completo.

Por ser feito em cerâmica altamente resistente, você pode preparar sua receita por completo no refratário, levando-a ao forno, geladeira, micro-ondas e ainda servindo-a diretamente à mesa, já que as receitas podem ser cortadas no próprio bowl, sem ocasionar riscos no refratário.

 

Como eu já sei que a receita é sempre um sucesso em minhas reuniões de amigos, preparei duas versões, uma com o queijo cortado e outra com o queijo inteiro, servindo cada uma delas em um bowl Emile Henry de cor diferente para dar um charme especial para a mesa!

 

E agor