SOBRE A BRUCALDERON
A cozinha é um lugar mágico para mim, local onde posso criar e reinterpretar receitas e pratos incríveis. Meu objetivo é inspirar você à também colocar a mão na massa de uma maneira simples e descomplicada, fazendo com que o ato de cozinhar lhe traga descontração e muita alegria.  
Jundiaí / São Paulo
Preparado com carinho pela Bru. 2016-2018
Please reload

Posts Recentes

A MELHOR RECEITA DE DADINHO DE TAPIOCA PARA VOCÊ FAZER EM CASA

September 26, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

SOUFFLÉ DE CHOCOLATE

5 Dec 2018

Entramos na primeira semana de dezembro e podemos dizer que, agora sim, estamos oficialmente em clima de NATAL!

 

Sempre tenho a sensação de que, a cada ano, as decorações natalinas tomam conta de shoppings, supermercados e lojas mais cedo. Atualmente, logo no início de novembro o Papai Noel já começa a dar as caras e a enfeitar as vitrines. Mas você sabe qual é o momento certo de tirar o Papai Noel, as renas e a árvore de Natal do fundo do armário para montar a sua decoração em casa?

 

Diversas tradições indicam que o correto é montar a decoração no começo de dezembro. Para alguns, o ideal é que a montagem seja feita quatro semanas antes do Natal, logo no dia 1º de dezembro. Já para outros, o correto é que isso seja feito no dia 6 dezembro, quando se comemora o Dia de São Nicolau, responsável pela criação da lenda do Papai Noel. E, por fim, outras pessoas dizem que certo mesmo é montar a árvore com um pinheiro de verdade e, por isso, a montagem precisa ser realizada bem pertinho do dia 24, apenas uma ou duas semanas antes do Natal.

 

Seja qual for a sua preferência ou costume, fato é que, segundo manda a tradição, essa é a semana ideal para entrarmos oficialmente no clima natalino e eu não vou ficar de fora! Por aqui já montei a árvore, enfeitei a casa com o Papai Noel, liguei o pisca-pisca e, é claro, fui correndo para a cozinha preparar uma receita em comemoração à chegada da época mais iluminada e festiva do ano. O escolhido para este Natal foi o “Soufflé de Chocolate”.

Também chamada de suflê em terras brasileiras, a receita é tipicamente francesa e, como diversos pratos famosos, sem registro oficial da data de surgimento. Alguns historiadores contam que o responsável por ela teria sido Marie-Antoine Carême, o cozinheiro lendário que cozinhou para importantes pessoas como rei Jorge IV da Inglaterra, czar Alexandre I da Rússia e imperador François I da Áustria. Marie-Antoine Carême foi o primeiro cozinheiro do mundo a receber o título de “chef” e a ele também foi atribuída a invenção do toque, o famoso chapéu de cozinheiro usado até hoje.

 

O outro nome que disputa o título de inventor do soufflé é Jean Anthelme Brillat-Savarin, escritor de Physiologie du Goût (A Fisiologia do Gosto), obra considerada até hoje como uma das principais fundadoras da gastronomia. Tenha sido Marie-Antoine ou Jean Anthelme, o que se sabe é que o soufflé tem berço original na França. A palavra francesa “soufflé” quer dizer soprado, fazendo referência ao fato que a receita é uma espuma de claras de ovos que cresce no forno, dando a impressão de que o prato foi soprado com ar.

 

A base de um soufflé é a ação de bater as claras em neve. Isso faz com que sejam criadas bolhas de ar dentro da massa que, quando submetidas às quentes temperaturas do forno, crescem e aumentam seu volume. Por se tratar de uma espuma, é natural que o soufflé murche e caia alguns minutos após a retirada do forno. Não se assuste: isso é normal e acontece com todos os soufflés! É por isso que o ideal é que a receita seja servida imediatamente após ser retirada do forno.

 

Ao contrário do que muitos pensam, preparar uma receita de soufflé não é tarefa complexa. Se você seguir o passo a passo corretamente e utilizar um recipiente próprio, não terá problemas. Para que você não corra nenhum risco e que seu soufflé cresça e permaneça estável nos minutos em que será servido, utilize um refratário apropriado para este tipo de receita.

 

Eu escolhi a travessa para soufflé da marca Emile Henry para preparar meu soufflé de chocolate. A marca foi fundada em 1850 em Marcigny e tem uma produção especializada de produtos em cerâmica com alta resistência. Em 1976, a Emile Henry inovou o mercado com a introdução de peças coloridas que podem ser usadas para cozimento, trazendo um novo conceito de servir a preparação direto do forno para a mesa, com elegância, sofisticação e beleza.

O diferencial da marca está no fato de ser feita com HR Ceramic (High Resistance Ceramic), um material cerâmico de alta resistência que garante uma durabilidade superior, evitando lascas por muito tempo. Além disso, é um ótimo difusor de calor, distribuindo-o por todo o refratário, para que seu prato seja cozido por igual, permitindo que o soufflé cresça e doure suavemente.

 

A travessa para soufflé da Emile Henry pode ser utilizada tanto para versões salgadas quanto para as versões doces da receita, conferindo uma apresentação linda e elegante. Como pode ser tirada do forno direto para a mesa, ela garante agilidade e praticidade no serviço enquanto o soufflé ainda está inflado.

 

Essa travessa tem o tamanho perfeito para servir toda a família e está disponível em três cores: areia, fendi e vermelha, a minha escolhida de hoje. A ideia foi criar uma receita com a cara do Natal, usando a travessa de cor vermelha, típica da decoração de Natal, e também cobrir o soufflé de chocolate com açúcar, como se fosse uma fina camada de neve, referência tão presente em filmes natalinos!

Já consigo imaginar a família toda reunida em volta da mesa, cada um segurando a sua colher e esperando para apreciar juntos a sobremesa, preparada por você com carinho para a noite de Natal!

 

Agora é só correr montar a sua decoração natalina nesta semana e anotar essa linda e deliciosa receita para a sua ceia deste ano.

INGREDIENTES

700 g de chocolate meio amargo
12 claras
6 gemas
2 xícaras de manteiga
400 g de açúcar
1 colher de sopa de extrato de baunilha
Uma pitadinha de sal
½ xícara de farinha de trigo

 

MODO DE PREPARO

Derreta o chocolate junto com a manteiga em banho-maria e reserve em um bowl grande. Enquanto espera, ligue o forno para aquecê-lo. Unte a travessa com manteiga e um pouco de açúcar e leve-a para o congelador enquanto prepara os demais passos da receita. Bata as claras em neve com a pitadinha de sal até espumar, e acrescente metade do açúcar, batendo até atingir este ponto:

Pegue o bowl com o chocolate derretido e adicione as gemas, a outra metade do açúcar, a baunilha, o trigo e 1/3 das claras batidas. Misture bem. Agora, comece a colocar o restante das claras, sempre aos poucos e mexendo delicadamente de baixo para cima. Feito isso, despeje a massa na travessa e leve ao forno a 180° C por aproximadamente 1 hora.

 

RENDIMENTO

12 porções.

 

DICAS

É essencial mexer com muita delicadeza as claras para que as bolhas de ar permaneçam inteiras e assim possam crescer no forno.

Essa receita é para servir a família toda. Se quiser uma versão reduzida, basta diminuir a receita dividindo os ingredientes pela metade (se quiser servir 6 pessoas, por exemplo).