SOBRE A BRUCALDERON
A cozinha é um lugar mágico para mim, local onde posso criar e reinterpretar receitas e pratos incríveis. Meu objetivo é inspirar você à também colocar a mão na massa de uma maneira simples e descomplicada, fazendo com que o ato de cozinhar lhe traga descontração e muita alegria.  
Jundiaí / São Paulo
Preparado com carinho pela Bru. 2016-2018
Please reload

Posts Recentes

A MELHOR RECEITA DE DADINHO DE TAPIOCA PARA VOCÊ FAZER EM CASA

September 26, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

CARDÁPIO COMPLETO DE NATAL

19 Dec 2017

Chegou a tão esperada comemoração de fim de ano e com ela as preocupações do que cozinhar para a Ceia de Natal.

Não importa se você é um convidado da festa ou se você é o anfitrião, fato é que terá que se preocupar em produzir pelo menos uma receita para a reunião tradicional de Natal.

 

De alguns anos para cá, a tradição de ficar horas na cozinha preparando a ceia tem dado lugar a um novo costume, o de apreciar uma boa conversa com a família e os amigos, reduzindo o tempo de preparo dos pratos para poder curtir ainda mais o clima delicioso de confraternização desse dia.

 

O costume de fazer a refeição de Natal juntos vem de lá de antigamente. Segundo conta a história, os europeus possuíam uma antiga tradição de no dia de Natal, deixar as portas de suas casas abertas para que quaisquer viajantes e peregrinos que estivessem passando por lá naquele momento pudessem entrar e também celebrar a noite de Natal.

 

O pensamento era de que tais pessoas, que por algum motivo estavam fora de suas residências de origem, pudessem encontrar ali um lugar para confraternizar nessa data tão especial.

 

Para que todos pudessem se servir tranquilamente, uma grande variedade de pratos era preparada para este dia. Com o passar dos anos, os viajantes que tinham tido essa experiência passaram a também preparar o mesmo ritual no dia de Natal e a tradição acabou se espalhando mundo afora.

 

A tradição continua e até hoje preparamos no mínimo uma entrada, um prato principal e uma sobremesa para comemorar com quem a gente quer bem! A mudança fica apenas por conta da praticidade que buscamos hoje em dia. Nada de ficar muito tempo na cozinha e sim poder aproveitar todas as rodas de conversa dos nossos amigos.

 

E então, definido que o cardápio será mais prático e não tão demorado, quais pratos preparar?

 

Pois bem, sabemos que existem alguns pratos já tradicionais nas mesas de Natal como o peru, a rabanada, a lentilha e o salpicão. Mas neste ano quero propor algo diferente utilizando ingredientes fáceis de encontrar e preparar. Quero propor um cardápio completo super prático, rápido, saboroso e o melhor, já harmonizado com os vinhos perfeitos para cada uma das receitas.

 

O que acham?!

 

Assim ninguém precisa quebrar a cabeça pensando nos pratos e todos podem apreciar uma boa taça de vinho enquanto se delicia com a companhia dos familiares e amigos!

 

Escolhi os vinhos na Grand Cru, maior rede de lojas de importação de vinhos exclusivos do Brasil. A Grand Cru conta com um site super completo com sugestões de vinhos por uvas, por vinícolas, por preço e ainda oferece cursos pela Grand École e participação na Confraria que dá direito a descontos, material exclusivo e recebimento de vinhos especiais em casa.

 

Ah! E o site é tão completo que você não tem trabalho nenhum para garantir suas garrafas, pode escolher por lá mesmo que eles tem um e-commerce em que você pode fazer suas escolhas e compras online e receber aí na sua casa.

 

Se preferir, pode conferir a loja mais perto de você dentre as 45 espalhadas por todo Brasil e voltar para casa com os vinhos da ceia garantidos!

 

CARDÁPIO COMPLETO DE NATAL

 

MINI CUSCUZ

 

A receita de Cuscuz tem origem no Marrocos e por lá é feita tradicionalmente com farinha granulada de trigo. Aqui no Brasil adaptamos e utilizamos a farinha de milho para preparar essa delícia nas versões Nordestina, que é feita sem recheio, e a Paulista, feita com ovos cozidos, tomates e azeitonas e que será servida como entrada no cardápio da nossa Ceia.

 

INGREDIENTES:

 

1/2 cebola picada

2 dentes de alho amassados

1 e 1/2 xícaras de farinha de milho

1 xícara de ervilha

1 xícara de milho verde

2 colheres de molho de tomate

1 xícara de azeitonas verdes

2 ovos cozidos (1 picado e outro em rodelas)

1 tomate em rodelas

Sal

Pimenta

Salsinha

Azeite

 

MODO DE PREPARO:

 

Deixe separadas algumas rodelas de tomate, ovo e algumas folhas de salsinha para decorar.

Refogue a cebola e o alho no azeite e em seguida acrescente o molho de tomate. 

Adicione a ervilha, milho, tomate, azeitona e deixe ferver um pouco. 

Agora é hora de colocar a farinha, tenha muito cuidado e coloque aos poucos para não empelotar. Misture o ovo cozido picado e mexa delicadamente para não esfarelar.

Escolha formas pequenas para dar um charme especial. Unte as forminhas e coloque os ingredientes separados no início formando uma bela decoração. Coloque fatias de ovo, de tomate e folhas de salsinha intercaladas até preencher o fundo inteiro de cada forma.

Agora despeje a massa do cuscuz e pressione levemente para que a base fique uniforme. Deixe esfriar e desenforme.

 

HARMONIZAÇÃO:

 

VINHO ROSE CASAL BRANCO TERRA DE LOBOS 

 

Com uma intensidade que começa logo na cor, este vinho possui notas de framboesas, amoras e morangos frescos em seu paladar e além das frutas, notas florais em seu aroma.

Seu corpo é bem mais intenso do que estamos acostumados a ver em outros roses, mas nem por isso ele perde a harmonia e maciez.

O vinho é jovem, fresco e com uma acidez bastante equilibrada, que combina perfeitamente com preparações mais geladas e frescas como o cuscuz paulista.

 

 

BIFE WELLINGTON

 

Essa receita tem origem disputada entre ingleses e franceses. Os franceses afirmam que nada mais é que uma variação da receita de boeuf en croûte e que o nome teria sido alterado por um britânico que se recusou a comer um prato com nome francês. Já os ingleses acreditam na versão de que o prato é uma homenagem ao comandante Arthur Wellesley que ganhou o titulo de Duque de Wellington após derrotar Napoleão Bonaparte na Batalha de Waterloo. Seja qual for a origem, fato é que o prato tem uma preparação incrivelmente simples e um resultado digno dos melhores livros de culinária e por isso será servido como prato principal em nossa Ceia.

 

INGREDIENTES:

 

500 gr de filé mignon

1 pacote de Massa Folhada

6 colheres de mostarda

1 maço de brócolis ninja

10 fatias de bacon

1 Ovo

1 cenoura

2 batatas

Sal

Pimenta

Azeite

 

MODO DE PREPARO:

 

Corte as batatas, metade do brócolis e a cenoura em cubos médios, coloque-os em uma assadeira, regue com azeite, tempere com sal e pimenta e reserve.

Tempere o filé com sal e pimenta. Em uma frigideira bem quente sele a peça inteira do filé mignon de todos os lados e reserve.

Coloque a folha de massa folhada aberta sobre um filme plástico ou alumínio para te ajudar na hora de enrolar. Coloque a mostarda e espalhe por toda a folha da massa. Corte a outra metade do brócolis em pedaços pequenos e jogue por cima da mostarda. Agora coloque as fatias de bacon.

Disponha o filé selado por cima de tudo isso e enrole a fim de que a massa folhada cubra toda a carne. Retire o plástico filme ou papel alumínio.

Disponha em uma assadeira diferente dos legumes, pincele o ovo por cima e faça pequenos cortes ao longo da massa folhada com ajuda de uma faca.

Leve as duas assadeiras ao forno pré aquecido a 220ºC por aproximadamente 45 minutos.

 

HARMONIZAÇÃO:

 

VINHO TINTO DELAS FRERES COTES DU VENTOUX 

 

Com cor rubi profunda, esse vinho é suculento e possui um final longo e prazeroso.

Possui notas de mirtilo e framboesa e aroma de frutas vermelhas intenso. Com acidez média e tanino leve, tem notas ameixas, especiarias, alcaçuz e um agradável toque de tabaco que harmoniza incrivelmente bem com carnes. 

 

 

PANNA COTTA COM CALDA DE FRUTAS VERMELHAS

 

Literalmente “nata cozida” a panna cotta é uma sobremesa italiana com origem na região de Piemonte feita basicamente com creme de leite fresco, açúcar e gelatina. Acredita-se que sua criação se deu a partir de um cozimento de molho a base de peixe, pois as receitas antigas pedem o uso de cartilagem de peixe para engrossar e dar o efeito de gelatina à preparação. Como muitas receitas famosas, o molho deu errado e acabou virando essa sobremesa mundialmente conhecida.

 

INGREDIENTES:

 

500 ml de creme de leite fresco

½ xícara de leite

1 colher de sopa de gelatina em pó sem sabor

2 colheres de sopa de água

1 colher de sopa de essência de baunilha

4 colheres de sopa de açúcar

150 gr de morango

100 gr de framboesa

100 gr de açúcar

 

MODO DE PREPARO:

 

Em uma tigela misture a gelatina nas colheres de água e misture bem.

Em uma panela coloque o creme de leite, o leite e o açúcar e leve em fogo médio até tudo estar diluído. Retire do fogo e misture a gelatina. Espere esfriar, coloque a essência de baunilha e misture bem.

Encha os recipientes em que irá servir as panna cottas e leve para a geladeira por aproximadamente 4 horas.

Para preparar a calda, lave e corte os morangos e coloque-os em uma panela junto com as framboesas e o açúcar. Leve ao fogo médio e vá mexendo até derreter um pouco e virar uma calda vermelha, cerca de 5 minutos. Reserve na geladeira.

Sirva a panna cotta colocando a calda de frutas vermelhas por cima.

 

HARMONIZAÇÃO:

 

VINHO BRANCO DE SOBREMESA VISTAMAR LATE HARVEST

 

Vindo de colheita tardia da região do Vale do Limarí, no Chile, este vinho possui uma explosão de aromas com toques de flores brancas, pêssegos, damascos e marmelo. O clima da região é bastante fresco, o que garante um vinho muito refrescante e aromático.

É bastante cremoso e suculento e possui acidez e tanino leves equilibrados com toques frutados acentuados, criando um vinho de sobremesa excelente.