SOBRE A BRUCALDERON
A cozinha é um lugar mágico para mim, local onde posso criar e reinterpretar receitas e pratos incríveis. Meu objetivo é inspirar você à também colocar a mão na massa de uma maneira simples e descomplicada, fazendo com que o ato de cozinhar lhe traga descontração e muita alegria.  
Jundiaí / São Paulo
Preparado com carinho pela Bru. 2016-2018
Please reload

Posts Recentes

A MELHOR RECEITA DE DADINHO DE TAPIOCA PARA VOCÊ FAZER EM CASA

September 26, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

Compota de Tomate

6 Sep 2017

Aí você vai até o mercado comprar tomates para sua receita caseira de molho e se depara com, pelo menos, 3 tipos diferentes desse fruto vermelho.

 

E agora, qual escolher?

 

Item presente em praticamente todas as geladeiras, o tomate é um fruto da mesma família das berinjelas, pimentas e pimentões. As espécies, originárias da América Central e do Sul, começaram a ser consumidas no México. Interessante, não? Já que estamos habituados a associar seu uso na culinária italiana.

 

No mundo existem aproximadamente 15 tipos diferentes de tomate, apesar de sua maioria ter coloração vermelha, existem também em tons de rosa, amarelo e laranja.

 

Pois bem, aqui no Brasil temos alguns tipos de tomates coringas, que conseguimos achar em praticamente todos os supermercados e é sobre eles que quero falar um pouco hoje.

 

Tomate Carmem

 

 

Sem dúvida, o mais comercializado no Brasil. Achamos em qualquer venda, mercadinho e se tiver apenas um tipo de tomate para vender, tenha certeza que é o Carmem. É um tomate bastante aguado e ralo, por isso não é o ideal para a produção de molhos. Dura muito tempo e é perfeito para saladas.

 

 

 

 

Tomate Caqui

 

 

 

É um tomate grande, parecido com o Carmem, porém, muito mais saboroso, fresco e com uma acidez acentuada. Não é tão aguado, mas também não é ideal para molhos, não possui um sabor adocicado e por isso é perfeito para produções mais ácidas, como um vinagrete.

 

 

 

 

Tomate Holandês

 

Simplesmente o mais bonito de todos. Bem redondinho e vendido em ramas, é um dos tipos mais caros e não é facilmente encontrado em supermercados no Brasil. Tem esse nome, pois o tipo era importado da Holanda, mas hoje em dia já existem plantações desse tomate por aqui. Esse tipo já possui um sabor mais adocicado, uma acidez bem controlada e é perfeito para ser usado cru, como em saladas.

 

 

 

Tomate Débora

 

O primeiro da lista que pode ser utilizado para produzir molhos. Esse tipo é menos ácido que o Carmem, mas também possui mais sementes. É também encontrado em praticamente todos os supermercados e serve como um aliado para o preparo de praticamente todas as receitas.

 

 

 

 

Tomate Italiano

 

Certamente o ideal para preparação de molhos, o tomate italiano tem um formato um pouco mais alongado, é bem mais carnudo que os demais e possui bem menos sementes. É um tipo de tomate bastante sensível e por isso não dura muito tempo. Seu sabor é concentrado e seu interior menos aguado que os demais.

 

Tomate Sweet Grapes

 

Mais caro que o tomate cereja, esse tipo lembra o formato de uma uva, por isso o nome “uvas doces”. É o tipo mais doce de tomate. Seu corpo é alongado, parecido com o do tomate italiano, e também bem carnudo. Ideal para saladas e preparações frias.

 

 

 

Tomate Cereja

 

É quase que um filho do tomate. Tem formato mais alongado, mas é bem pequeno, sendo designado como mini tomate. Possui bastante líquido, sabor refrescante e por dentro é bem aguado. Ele é perfeito para ser usado em canapés de forma crua, mas também é o tipo ideal para preparação de compotas já que possui um sabor adocicado.

 

 

E é com o tomate cereja que vamos preparar nossa receita de hoje!

 

Uma bela compota de tomate cereja assado para acompanhar um pão italiano e servir de entrada para um jantar!

 

Sou fã de compotas, doces e conservas e adoro preparar versões doces e salgadas para sempre ter uma opção bacana em casa para receber amigos ou preparar um jantar de última hora. Para garantir que esse tipo de preparação seja armazenada de forma correta, precisamos usar bons potes herméticos.

 

 

 

De nada adianta preparar versões caseiras de azeites temperados, compotas ou conservas se utilizar qualquer pote sem a vedação e preparação adequada para a preservação das receitas. Isso vale tamb