SOBRE A BRUCALDERON
A cozinha é um lugar mágico para mim, local onde posso criar e reinterpretar receitas e pratos incríveis. Meu objetivo é inspirar você à também colocar a mão na massa de uma maneira simples e descomplicada, fazendo com que o ato de cozinhar lhe traga descontração e muita alegria.  
Jundiaí / São Paulo
Preparado com carinho pela Bru. 2016-2018
Please reload

Posts Recentes

A MELHOR RECEITA DE DADINHO DE TAPIOCA PARA VOCÊ FAZER EM CASA

September 26, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

Drink de Café e Avelã com Bialetti

22 Aug 2017

Que o consumo do café tem aumentado todos os dias, a gente já sabe. Mas, que são necessários aproximadamente 20 milhões de sacas ao ano para abastecer o mercado brasileiro, pouca gente sabe. O número surpreende, não?!

 

O Brasil é o segundo maior consumidor de cafés do mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, que consome em torno de 24 milhões de sacas ao ano. Um estudo sobre as tendências para os próximos anos do setor do café indica que o Brasil está vivendo um momento interessante em que, diferente do resto do mundo, tende a aumentar o consumo da modalidade arábica, enquanto que nos demais países, em especial os mercados emergentes da Rússia, China e Coreia, o aumento será do tipo solúvel, que utiliza basicamente o robusta como composição.

 

Ficou confuso? Vem cá que eu te explico!

 

Dentre as mais de cem variedades e espécies, existem dois tipos de grãos que podem ser utilizados para a produção do café: Arábica (Coffea arábica) e Robusta (Coffea canephora).

 

Tipo Robusta
Precisa de um clima quente e úmido para se desenvolver e se adapta a solos com altitude menor que 600 metros. Possui grande concentração de cafeína, chegando a 2,5%, quase o dobro que o arábica. Seu grão é mais arredondado e possui coloração marrom-amarelada. Floresce mais de uma vez ao ano, cresce rapidamente e tem uma resistência maior contra os parasitas.

Tipo Arábica
O café feito com este tipo de grão tem 50% menos cafeína. A altitude em que é cultivado influencia no resultado final: quanto mais alto, melhor. Seu grão é oval e possui coloração amarelo-esverdeada. Tem origem na Etiópia e é possivelmente uma das primeiras espécies de café a ser cultivada.  Corresponde a ¾ da produção mundial e possui valor de mercado maior que o robusta, por conta da qualidade superior, tendo aroma e sabor mais suaves e doces.

Em resumo: é mais fácil e mais barato cultivar o grão robusta, sendo ele utilizado, em grande parte, nas bebidas instantâneas. É mais difícil e caro cultivar o grão arábica, que entrega uma qualidade muito superior, sendo o preferido das bebidas gourmet.

 

E, falando nisso, chegamos ao tema do nosso post. O consumo do café no Brasil entre os jovens só aumenta e hoje atinge a incrível marca de 49% deste público apreciando a bebida! Com esse aumento, os jovens passaram a buscar novas formas de beber o café e, com isso, também cresceu a quantidade de opções de bebidas gourmet que utilizam este ingrediente. O resultado são diversos tipos de coquetéis super criativos e deliciosos que levam sorvete, sucos e xaropes de frutas, bebidas alcoólicas ou água com gás em seu preparo.

 

E, independente da combinação de ingredientes, sabe o que todos eles têm em comum?! A qualidade do café! Sim, meus amigos, de nada adianta fazer uma combinação incrível se você não utilizar o café de forma correta. Para começar, procure sempre escolher o grão tipo arábica, pelas razões que já te contei acima. Em segundo, a forma de extração do café influencia, e muito, no resultado final, como já expliquei um pouco no post Pausa para o Café com Bialetti Rainbow. Por lá falei um pouco sobre a extração na Cafeteira Italiana. E, para retomar a ideia das diferentes formas de extração, hoje quero falar um pouco sobre a Prensa Francesa.

A French Press, ou Prensa Francesa, teve seu surgimento na França, por volta de 1850. Apesar da origem e nome franceses, foi o italiano Attilio Calimani que registrou sua patente, em 1929. A Prensa Francesa possui um recipiente de vidro, composto por um êmbolo com um filtro feito de metal bem fino que separa o pó do café para o consumo final. Este pequeno filtro é o responsável por uma infusão densa do café, com aroma preservado e consistência mais encorpada. É uma forma de extração perfeita para quem quer garantir um café aromático, encorpado e saboroso, ideal para preparar drinks incríveis ou para dar um charme especial para a pausa do café!

INGREDIENTES:

 

30 ml de xarope de avelã
1 colher de café de cacau em pó
100 ml de leite vaporizado
35 ml de café da French Press Bialetti
Creme de avelã

 

MODO DE PREPARO:

 

Primeiro vamos preparar nosso café na French Press Bialetti. Você irá utilizar, aproximadamente, de 70 a 80 g de pó de café para cada litro de água. Coloque o pó do café no recipiente de vidro e despeje a água quente (sem ter fervido, o ponto é quando começarem a surgir as primeiras bolhas).

 

 

 

Com ajuda de uma colher, misture o pó com a água e encaixe o êmbolo na parte de cima da cafeteira, sem pressionar para baixo por enquanto. Deixe o café nessa infusão por no mínimo 4 minutos. Após esse tempo, pressione para baixo para que o êmbolo desça e separe o pó da bebida. Reserve.

 

Passe o creme de avelã na borda de sua xícara. Coloque o xarope de avelã, o cacau e misture muito bem até virar uma pastinha cremosa. Acrescente o leite vaporizado e, por fim, o ingrediente principal, o café extraído na French Press!

 

RENDIMENTO:

 

1 drink

 

DICAS:

 

Sempre limpe a cafeteira após cada extração de café. Lave com água corrente e detergente neutro. Não utilize produtos abrasivos. Seque bem!

 Você pode conferir mais sobre a marca Bialetti e outros produtos da Imeltron no site:

www.imeltron.com.br